Download details

A PRODUÇÃO DO ESPAÇO AGRÁRIO EM CONFRESA-MT: expansão agropecuária, conflitos socioespaciais e resistência camponesa no Vale do Araguaia CUIABÁ – MT 2015 A PRODUÇÃO DO ESPAÇO AGRÁRIO EM CONFRESA-MT: expansão agropecuária, conflitos socioespaciais e resistência camponesa no Vale do Araguaia CUIABÁ – MT 2015 HOT

PEDRO MOREIRA DOS SANTOS NETO
Orientador Dr. Danilo Volochko
Ano de Defesa 2015

RESUMO

Esta pesquisa pretende debater os conflitos e o processo de produção do espaço agrário a partir da realidade dos camponeses do Projeto de Assentamento Independente I, localizado no Vale do Araguaia em Confresa-MT, município que possui 83% seu território ocupado por assentamentos de “reforma agrária” (INCRA), o que, a princípio, poderia se contrapor à expansão da fronteira agropecuária sinalizada pelo Estado por meio de um instrumento de planejamento denominado Zoneamento Socioeconômico Ecológico (ZSEE). Neste contexto, buscamos analisar as transformações socioespaciais que vêm ocorrendo no espaço agrário de Confresa, pensando questões a partir do campo que perpassam pelo movimento do assentamento sendo incorporado pela cidade no contexto de avanço da fronteira agropecuária e de valorização da terra, por outro lado podemos considerar a recriação do campesinato, pois o campesinato contraditoriamente se recria nesse movimento conflituoso do processo de produção do espaço entre o território capitalista e o espaço camponês, portanto, a problemática da dissertação perpassa pelo conflito entre a produção do território capitalista e o espaço camponês. As pesquisas de campo permitiram entender o camponês em sua relação social de produção da vida, observando no cotidiano o trabalho familiar organizado de acordo com as características e necessidades da família, um trabalho familiar sem assalariamento, em prol da manutenção da unidade familiar. Também foram examinadas as possíveis transformações dessas relações camponesas advinda do modo capitalista de produzir avalizado pelo Estado na expansão da fronteira agropecuária no Vale do Araguaia. A análise partiu da escala da vida cotidiana dos camponeses, procurando entender em que medida as transformações iam/vão sendo reproduzidas pelos camponeses e investigando as possibilidades de resistência desses sujeitos a estes processos.

Palavras-chave: camponês, resistência, agronegócio, ordenamento territorial, produção do espaço

10

RESUMEN

Esta investigación pretende debatir los conflictos y el proceso de producción del espacio agrario a partir de la relaidad de los campesinos del “Proyecto Independente I” localizado en el Valle de Araguaia en Confesa-MT município que posee el 83% de su territorio ocupado por asentamientos de la “reforma agraria” (INCRA), que, en un principio, podría contraponerse a la expansión de la frontera agropecuária señalizada por el Estado por medio de un instrumento de planeamiento denominado Zoneamiento Socieconómico Ecológico (ZSEE). En este contexto, buscamos analizar las transformaciones socioespaciales que vienen ocurriendo en el espacio agrario de Confresa, pensando cuestiones a partir del campo que son recorridas por el movimiento del asentamiento siendo incorporado por la ciudad en el contexto del avance de la frontera agropécuaria y de la valorización de la tierra, por otro lado podemos considerar la recreación del campesinado, pues es el campesinado contradictoriamente el que se recrea en este movimiento conflictuoso del proceso de producción del espacio campesino, por lo tanto la problemática de la disertación pasará por el conflicto entre la producción del territorio capitalista y el espacio campesino. Los trabajos de campo permitieron entender al campesino en su relación social de producción de la vida, observando en el cotidiano el trabajo familiar organizado de acuerdo con las caracteristicas y necesidades de la familia, un trabajo familiar sin salario, en pro de la manutención de la unidad familiar. También fueron examinadas las posibles transformaciones de esas relaciones campesinas que surge de modo capitalista de producción aprobado por el estado en la expansión de la frontera agropecuaria en el Vale do Araguaia. El análisis partió de la escala de la vida cotidiana de los campesinos, procurando entender las transformaciones iban/ van siendo reproducidas por los campesinos e investigando las posibilidades de resistencia de esos sujetos a estos procesos.

Palabras claves: campesino, resistencia, agronegocio , ordenamiento territorial, producción del espacio.

Information
Autor PEDRO MOREIRA DOS SANTOS NETO
Orientador
Ano de Defesa 2015
Size 11.13 MB
Rating
(1 vote)
Created by Verônica
Changed by Verônica
Downloads 1.310
License
Price

Defesas

Não há eventos programados!